Cientistas analisam o apocalipse de The Last of Us



Em um dos vídeos mais recentes do The Last of Us INSIDE falamos do comportamento dos personagens em meio ao apocalipse do game e como isso poderia refletir nas pessoas. Mas e pelo ponto de vista de especialistas?

Estudo publicado no canal Wellcome Trust e em uma matéria do site IGN, um grupo de cientistas analisaram os eventos que ocorrem em The Last of Us e, falaram também do potencial fim do mundo na vida real, fazendo a seguinte colocação:


Se você acordasse amanhã e estivesse em um mundo infestado pelo vírus Cordyceps, suas chances de sobrevivências seriam ínfimas, quase nulas! É a verdade.

 No vídeo a seguir (em inglês) o cientista Benjamin Thompson, da The Microbiology Society, que trabalha em todas as áreas da microbiologia, falou o que aconteceria se a infecção do game se tornasse realidade, como o governo do Reino Unido lidaria com isso, se seria mais adequado fazer como Joel e ir a luta, ou esperar por uma cura como Marlene.


Sobre a cura, a especialista em vacinologia Christine Rollier disse que não seria possível que os anticorpos de alguém imune a esse vírus, fosse usado para criar algo a fim de combater a infecção, que também seria preciso de 2 a 20 anos para ser criado uma vacina, considerando que The Last of Us se passa um pouco mais de 20 anos depois da epidemia, que estaríamos de fato, perdidos, se isso acontecesse na vida real.

Tecnologia do Blogger.